Sucesso de Gabigol, Neymar e Jorginho nos pênaltis: técnica, frieza ou mentalidade?

Treinador mental Lincoln Nunes explica como o foco ajuda na conversão de sucesso das cobranças

Foto: Marcelo Cortes/Flamengo (Gabigol)


Ajeitar a bola na linha da cal. Mirar. Andar alguns passos e chutar a bola. Acertar o gol, de 2,44 metros de altura por 7,32 de largura, não é tarefa fácil, e por isso, os jogadores de futebol que fazem bonito na hora da cobrança de penaltis são considerados acima da média por especialistas.

O treinador mental de atletas de alta performance Lincoln Nunes destaca três atletas com potencial acima dos demais: Gabigol, do Flamengo, Neymar, do PSG, e Jorginho, do Chelsea. Mas afinal, o que os faz acima da média: calma ou treinamento?

VEJA TAMBÉM: Milionários antes dos 30: cinco brasileiros que fizeram fortuna bem novinhos

“Na verdade, é um misto dos dois. O jogador precisa ter a técnica, claro, mas se o foco não estiver apenas na cobrança, é bem provável que ele perca atenção e fracasse”, afirma. 

Segundo o treinador, todo atleta convive com um tipo de sentimento, o que na psicologia e fisiologia esportiva é chamado de “Luta ou Fuga”. “Nesse sentimento, temos uma janela de segundos para responder aos estímulos emocionais daquele momento de tensão. Portanto, caso você não dê a resposta adequada nesse período exato, acontece a trava e o jogador perde o lance”, completa.

Foto: Divulgação/Chelsea (Jorginho)

Rendimento de cada atleta

De acordo com Lincoln Nunes, Gabigol é um grande exemplo de técnica e foco. O camisa 9 rubro-negro tem , por exemplo, média de 95% de aproveitamento das cobranças. Números superiores aos de Neymar, Messi e Cristiano Ronaldo, em conversão. “Dá para ver muito bem como a expressão corporal dele influencia na hora do gol: relaxado, leve e pronto para fazer o que precisa. Então, se o jogador treina e tem a técnica agregada à mentalidade, é quase impossível não ter um rendimento positivo na hora das cobranças”, pontua.

Jorginho, o ítalo-brasileiro do Chelsea, também é garantia de sucesso quando o assunto é a penalidade máxima. “De 29 tentativas, o volante desperdiçou apenas quatro. Um dos marcos na temporada anterior garantiu a Itália à final da Eurocopa”, relembra.

E quanto ao 10 da Seleção Brasileira e do PSG, a conversão sempre foi elevada. “O craque tem 62 penalidades convertidas e 14 foram para arquibancada”, conta.

Foto: Acervo Pessoal (Lincoln Nunes)

Sobre o treinador

Criador do Método Atleta de Elite, Lincoln Nunes desenvolve a performance e a mentalidade de atletas de elite e alto rendimento, auxiliando-os a elevar sua auto confiança, controlar a pressão e a ansiedade para, dessa forma, atingirem resultados exponenciais.

Com inúmeros cases de sucesso, já atendeu diversos atletas olímpicos da Seleção Brasileira de natação e de boxe, multicampeões mundiais de jiu-jitsu, assim como atletas de elite do UFC e Futebol.

Comentários