REDAÇÃO MEGA: Primeiro dia de vacinação de cães e gatos supera 10 mil imunizados, revela diretora de Vigilância em Saúde

A diretora de Vigilância em Saúde, Ana Maria Ferraz deu entrevista dando detalhes da campanha que seguirá até o dia 30 de setembro

A campanha de vacinação antirrábica para cães e gatos iniciou no último sábado (29) em Vitória da Conquista.

Para falar sobre o assunto, a diretora de Vigilância em Saúde, Ana Maria Ferraz deu entrevista dando detalhes da campanha que seguirá até o dia 30 de setembro.

Ana destacou que na zona urbana da cidade, as ações de vacinação vão ocorrer aos sábados, em dois pontos fixos da cidade: o Estádio Municipal Edvaldo Flores e o Centro Cultural Glauber Rocha, das 8h às 13h. E desde ontem (31), três equipes volantes estão na zona rural com um "cronograma definido previamente e divulgado também pelas unidades de saúde de cada localidade por meio dos agentes comunitários de saúde".

VEJA TAMBÉM: REDAÇÃO MEGA: Mauro Bernandes fala de retorno de cerimônias em Vitória da Conquista; [OUÇA]

Ao ser questionada sobre a vacinação da enorme quantidade de cães nas ruas do município, a diretora revelou que o município possui um serviço de controle de zoonoses e equipes volantes que atendem determinados animais de rua.

"A gente faz uma certa ‘ronda’ em algumas localidades do município, capta certos animais e ali mesmo no momento faz a vacinação”, disse ela.

O município não conta com um centro de controle de zoonoses, mas a diretora ressalta que a existência da coordenação de serviço de controle de zoonose que tem como responsável o veterinário Luis Claudio e trabalha com o controle de todas as zoonoses existentes.

A vacina contra a raiva é gratuita e aplicada em dose única, uma vez por ano, em cães e gatos a partir de três meses de idade. Ela é a única forma de prevenção da doença, que é fatal e pode ser transmitida aos seres humanos.

De acordo com a diretora, no último sábado (29) foram vacinados quase 10 mil animais, um número que superou as expectativas do setor e foi até necessária uma reposição na quantidade de vacinas.

OUÇA A ENTREVISTA

Comentários