PT da Bahia reage após ACM Neto ignorar possíveis crimes de Bolsonaro durante mandato

Presidente da legenda listou possíveis crimes cometidos na gestão Bolsonaro e disse que ACM Neto apoia o governo federal

Foto: João Ramos


Em entrevista dada ao vivo a jornalistas do Portal UOL, nesta terça-feira (4), o ex-prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM), disse que não era possível identificar se o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) cometeu crimes  que justificassem a abertura de um processo de impeachment. A frase teve grande repercussão e foi rebatida pelo presidente do PT na Bahia, Éden Valadares.

"Crime de Responsabilidade pela violação de garantias individuais, crime contra a humanidade, prevaricação, charlatanismo, incitação ao crime, crime de infração de medida sanitária preventiva, crime de epidemia, a lista de crimes cometidos por Bolsonaro é enorme, comprovada pela CPI e conhecida no Brasil e no mundo. A posição de ACM Neto não é técnica, é política", disse Valadares. 

VEJA TAMBÉM: Prefeita de Conquista, Sheila Lemos estaria buscando empréstimo de R$100 milhões para obras

Mais cedo, quando questionado pelos jornalistas, ACM Neto havia dito que não tinha competência para identificar se Bolsonaro havia agido ao arrepio da lei. "Não sou deputado para dizer se houve ou não crime. O que posso dizer é que sou radicalmente contra ao modelo que o presidente adotou para tratar da pandemia. Como cidadão, posso dizer que as medidas não foram adotadas de forma a minimizar os danos trazidos pelo vírus", disse o demista.

Ele também afirmou não apoiar o impeachment de Bolsonaro por não reconhecer condições para que o processo ocorra. "Sou bem claro: sou contra o impeachment. Da mesma forma que sou contra qualquer ruptura democrática, como o golpe, por exemplo". Neto também defendeu que uma ação para interromper o mandato do presidente poderia gerar uma instabilidade no país. "Deixa os jogadores que estão aí jogar. Qualquer interferência numa disputa livre vai contribuir com uma instabilidade no país. Queremos vencer nosso projeto em um processo amplo, aberto e franco dentro das urnas", pontuou

Opositor, o presidente do PT também rebateu o ponto. "Ele é contra o impeachment de Bolsonaro porque apoia seu governo, tem muitas verbas, emendas e cargos. Negar isso é fazer pouco caso da inteligência da sociedade baiana". 

METRO1

Comentários