Eduardo Bolsonaro cita tosse e cansaço e indica que está usando cloroquina

Ele, que se vacinou com a primeira dose da Pfizer no mês passado, anunciou o teste positivo na manhã desta sexta e permanece isolado

Foto: Agência Brasil


Após anunciar diagnóstico positivo para covid-19, o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), filho do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), relatou cansaço e tosse devido à doença e indicou ter iniciado o tratamento com cloroquina.

Medicamentos usados para o chamado tratamento precoce, como é o caso da cloroquina, e defendidos por apoiadores do governo Bolsonaro são considerados ineficazes por cientistas e órgãos de Saúde mundo afora. O próprio Ministério da Saúde do Brasil já admitiu a sua ineficácia em documentos enviados à CPI da Covid, em julho.

VEJA TAMBÉM: CPI da Covid: Hang patrocinou blogueiro com ajuda de Eduardo Bolsonaro

"Tô me tratando [da covid]. Vocês devem imaginar com o que... O médico receitou. E, de ontem para hoje, eu já estou me sentindo muito melhor. Obviamente estou com coriza, um pouco cansado, mas sem febre. Mas de agora em diante, depois de iniciar o tratamento, a tendência é só melhorar", disse o deputado, durante transmissão de live divulgada em suas redes sociais, na noite de hoje.

"Hoje em dia, muita gente já teve covid. Não é nada de excepcional (...) E tem determinadas coisas que são incríveis, mas a gente não pode falar. É quase um regime talibanês em que você falar algumas coisas como, por exemplo, o que você está tomando, é capaz desse *inaudível* cair", completou o parlamentar, referindo-se ao regime extremista do Talibã.

Eduardo Bolsonaro integrou a comitiva do presidente Bolsonaro que viajou a Nova York (EUA) para participar da 76ª Assembleia-Geral da ONU (Organização das Nações Unidas). Ele, que se vacinou com a primeira dose da Pfizer no mês passado, anunciou o teste positivo na manhã desta sexta e permanece isolado.

Ao todo, três pessoas (entre 18) da comitiva presidencial testaram positivo: além do deputado, o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga e um diplomata que ajudou a organizar a viagem, também contraíram a doença. Nesta sexta-feira (24), os ministros Bruno Bianco, da AGU (Advocacia-Geral da União) e Tereza Cristina, da Agricultura, que não estiveram na viagem, mas que circularam em ambientes nos quais estiveram integrantes da comitiva, também confirmaram que estão com o novo coronavírus.

UOL

Comentários