Coronel diz que esquerda e direita estão fora de moda, elogia Roma e volta a defender candidatura própria do PSD

Para o senador, a CPMI das Fake News, no qual é presidente, ficou difícil de ser dada a sequência por causa da pandemia

Foto: BNEWS


O senador Angelo Coronel (PSD-BA), em entrevista exclusiva ao BNews, em sua residência, em Brasília, disse que a "esquerda e a direita estão meio fora de moda", ao comentar sua posição independente no Senado Federal.

"Tenho na minha ótica bons projetos que foram encaminhados. Vim para o Senado Federal eleito em uma chapa majoritária vitoriosa, composição de azul e vermelho", pontuou.

Sobre a CPI da Pandemia, Coronel elogiou os trabalhos e disse esperar que o relatório do senador Renan Calheiros (MDB) tenha provas materiais. "Evitou que houvesse a efetivação de algumas corruções em núcleos do governo. Espero que saia o relatório com provas materiais. Não se pode hoje acusar ninguém sem provas materiais. Não podemos também antecipar a sentença de ninguém", afirmou.

VEJA TAMBÉM: Lula cria perfil no LinkedIn, lista carreira política e cita experiência como torneiro mecânico

Para o senador, a CPMI das Fake News, no qual é presidente, ficou difícil de ser dada a sequência por causa da pandemia, mas espera que tenha continuidade. "A CPMI não é só das fakes das eleições. Tem no seio familiar, no trabalho", completou.

O ex-presidente da Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA) reforçou que é a favor ao retorno das coligações. "Nosso arco de alianças na Bahia, nos últimos quatro eleições, mostrou que as coligações foram frutíferas, úteis, contemplou parlamentares. As coligações são importantes", avaliou.

Coronel também voltou a defender candidatura própria do PSD ao governo da Bahia, através de Otto Alencar, e disse que o PP também precisa ser contemplado. "O PP é um grande partido e precisa ser contemplado. Defendo que Leão assumisse o governo por seis meses e tivesse o poder de indicar novamente o vice. Para ter aliança não pode escantear um partido como o PP", opinou.

Sobre a possível candidatura do ministro da Cidadania, João Roma, no estado, senador disse acreditar que auxiliar de Bolsonaro vai confirmar o pleito. "Presidente Bolsonaro precisa de palanque na Bahia. João Roma está escalado para representar o bolsonarismo na Bahia. Tem gabarito, fazendo bom trabalho. Não vejo nada contra", ponderou.

BNEWS

Comentários