Felica trará grandes nomes da literatura ao universo virtual

Evento promovido pela Editora Caramurê acontece por oito dias com programação diversificada

Foto: Divulgação


A segunda edição da Festa Literária da Caramurê (Felica) acontece de 28 de março a 04 de abril deste ano. Com mais de 60 horas de programação cultural transmitida gratuitamente pela internet, o evento contará com mesas de debate, bate-papos entre autores, pocket shows (conversas cantadas), saraus, contações de histórias, vídeo performances e um concurso literário, em que o vencedor ganhará um kindle, exclusivo para estudantes  com o intuito de descobrir novos talentos.

O objetivo da festa é dar ênfase à relação entre literatura, cidadania e direitos humanos. Sob o lema “O livro como instrumento de transformação”, a Felica II se concentra em expor a diversidade do campo literário baiano, ampliar sua visibilidade e destacar o papel da arte, das ciências e do conhecimento na construção de um mundo melhor. O curador, Breno Fernandes, que também foi curador da primeira versão da festa comenta: “A Felica almeja ser um ponto de encontro onde as pessoas encontrem a matéria-prima de que necessitam para dar início à transformação de que precisamos para que 2021 tenha um desfecho diferente e melhor do que o ano passado”.

Na primeira edição o evento homenageou o poeta Capinam e o escritor e jornalista João Carlos Teixeira Gomes (autor in memoriam), a Felica II homenageia este ano as poetas Lívia Natália e Myriam Fraga (in memoriam). Na programação, talento, diversidade e atuação na cena literária local e nacional formaram o tripé da seleção de autores e autoras, entre os quais estão, além de Lívia Natália, Itamar Vieira Jr., Jean Wyllys, Mabel Velloso, Kátia Borges, Aleilton Fonseca, Nivaldo Lariú , Carlos Ribeiro e dezenas de outros escritores baianos e de fora da Bahia, chegando um total de mais de 110 participantes.

A Felica II debaterá, dentre outros temas: os jovens como agentes de difusão do livro; o cordel como fonte de formação social; o combate à censura no Brasil; o impacto das mídias digitais na escrita e na leitura; a relação entre direitos humanos e ética religiosa; a literatura como instrumento de combate ao racismo; a arte como forma de explicar o mundo à criança; as diferentes culturas nacionais que se expressam em língua portuguesa; o atual cenário da produção de histórias em quadrinho na Bahia.

“Queremos estimular o campo literário da Bahia e todos os seus agentes, formar leitores cidadãos, leitores que reconhecem a literatura como instrumento de atuação social vinculada ao convívio em sociedade, ao respeito, aos direitos humanos, ao reconhecimento da diversidade humana, à proteção do meio-ambiente e à valoração da cultura local. Tudo isso integrando a literatura há várias outras linguagens artísticas”, disse o idealizador do projeto, Fernando Oberlaender. O evento será transmitido pelo canal da TV Caramurê no YouTube e pelo Instagram da editora de forma gratuita.

A Felica II é uma realização da Editora Caramurê. O projeto tem apoio financeiro do Estado da Bahia através da Secretaria de Cultura e da Fundação Pedro Calmon (Programa Aldir Blanc Bahia) via Lei Aldir Blanc, direcionada pela Secretaria Especial da Cultura do Ministério do Turismo, Governo Federal.

Comentários