COVID-19: Primeira vacinada na Bahia é infectada

Eficácia máxima dos imunizantes acontece 20 dias após segunda dose; enfermeira Maria Angélica tem boa recuperação

Primeira vacinada na Bahia, em 19 de janeiro, a enfermeira Maria Angélica de Carvalho Sobrinho, de 53 anos, foi infectada pelo novo coronavírus. A profissional da área de saúde está internada no Instituto Couto Maia, onde trabalha.

Diretora-geral da unidade de saúde, a infectologista Ceuci Nunes, explicou que o casa não te relação com uma eventual reação à vacina. “A proposta da vacina é de duas doses e a proteção maior vai acontecer 20 dias após a segunda dose”, disse a médica. A enfermeira que foi a primeira vacinada passa bem.

Maria Angélica tinha segunda dose prevista para o dia 16 deste mês e começou a sentir os sintomas três dias antes. Ceuci Nunes destaca que as vacinas em uso não dão garantias que impedem a infecção pelo novo coronavírus.

A proteção é para não desenvolver a doença. Um infectado vacinado pode transmitir o vírus a terceiros.Segundo Ceuci, por esse motivo mesmo as pessoas vacinadas devem seguir usando máscara e mantendo o distanciamento social, até que pelo menos 60% da população brasileira esteja imunizada.

Comentários