Conquista aposta em time ‘rodado’ para surpreender no Baianão
Incomodado pela ausência nos torneios regionais e nacionais na temporada passada e pela extinção da Copa Governador do Estado, o 'bode' quer brigar pelo título baiano para garantir um calendário maior ao clube no futuro
Esporte - 8/01/2018
+notícias

Flávio Caça-Rato e Washington são atrações do Bode para 2018 (Luciana Flores / ECPP Vitória da Conquista)

Em 2018, o Vitória da Conquista quer chamar tanta atenção no Campeonato Baiano quanto a dupla Ba-Vi.

Pelo menos em relação às contratações para o elenco, já conseguiu. Para treinador, apostou no ex-atacante Washington, o ‘Coração Valente’. E, para o ataque, trouxe um medalhão do futebol nordestino, o atacante Flávio Caça-Rato.

Tudo isso porque 2018 precisa ser o ano do Bode. Incomodado pela ausência nos torneios regionais e nacionais na temporada passada e pela extinção da Copa Governador do Estado, o Conquista quer brigar pelo título baiano para garantir um calendário maior ao clube no futuro.

“Nesse estadual estará em jogo não só o ano de 2018, mas também o de 2019. Isso já foi passado para a comissão técnica e para o grupo, de que a gente tem que chegar o mais longe possível na Copa do Brasil, subir para a Série C e brigar pelo título baiano”, diz o presidente, Ederlane Amorim.

Explica-se: no ano passado, o Conquista disputou só 12 jogos, sendo um a nível nacional. Foi contra o Coritiba, pela primeira fase da Copa do Brasil, quando acabou eliminado após um empate em 1×1 no Lomanto Júnior. Os demais foram pelo Baianão, em que acabou no 4º lugar, garantindo vaga para a edição da Série D 2018.

Para reconquistar o posto de terceira força do estado, o alviverde precisa igualar o feito da Juazeirense e garantir uma vaga na Série C. No ranking 2018 da CBF, o Conquista caiu de terceiro lugar entre os times baianos para quinto. Foi ultrapassado justamente pelo Cancão de Fogo e pelo Fluminense de Feira, outro que disputou a quarta divisão.

Atrações

Para dar conta de missão tão importante, o Bode escolheu um profissional reconhecido como jogador, mas estreante como técnico. Ederlane espera que a vontade de Washington vencer na nova carreira supere esse problema: “Como jogador ele já viveu muita coisa. Espero que ele passe experiência para o time”.

As contratações vieram aos montes. São nada menos que 18 reforços para a temporada. O mais conhecido é Flávio Caça-Rato. Destaque do Santa Cruz nos acessos à Série C em 2011 e à Série B em 2013, o atacante de 31 anos vinha em queda na carreira. De 2015 para cá, passou por Remo, Guarani, Duque de Caxias, Tupi-MG e América-PE sem sucesso.

“Isso acontece com muitos jogadores, se deslumbram com o momento e esquecem de seguir em frente. Hoje, Flávio é outra pessoa, se converteu (virou evangélico), é uma pessoa religiosa, de família”, garante Ederlane.

Outro conhecido é o volante Alan Bahia, 34 anos, revelado pelo Atlético-PR e campeão brasileiro em 2001. Um trio certamente chamará a atenção dos torcedores do Vitória: o lateral-direito Romário e os volantes Gabriel Soares e Edson Magal, que brilharam na base rubro-negra, mas que não vingaram no profissional. Ao todo, o elenco tem 33 jogadores.

O Conquista busca a primeira vitória na Copa do Brasil. Mesmo quando avançou de fase, em 2016, foi com dois empates contra o Náutico, em 0x0 e 1×1. O duelo pela primeira fase será contra o Boa Esporte, no Lomanto Júnior. O jogo não tem data definida, mas acontecerá entre os dias 31 de janeiro e 7 de fevereiro.

Elenco do Conquista para 2018:

Goleiros: Jean, Alex Dida, Andrezon e Leandro Silva
Laterais: Fieta, Jack, Romário, William Santos, Vinícius, Cleitinho e Jeff Silva
Zagueiros: Lucivaldo, Silvio, Xandão, Nildo e Gilson
Volantes: Edimar, Maicon, Mateus, Magal, Gabriel Soares e Alan Bahia
Meias: Dionísio, Kleber Bigu, Diogo Capela, Beleu, Fernando Santos e Eduardo Esquerdinha
Atacantes: Tatu, Rafamar, Flávio Caça-Rato, Sillas Vital e Naôh

Fonte A Tarde 
  • Facebook
  • Twitter