PONTO DE VISTA: Espreme que sai sangue: Para obter cliques blogs desrespeitam vítimas e familiares
Não se sabe quem é mais “carniceiro”, o internauta que avidamente clica para ver a foto ou o blogueiro, que na ânsia de obter tais cliques, publica a foto
Notícias - 31/05/2016
+notícias

sangue_ilustra-1Por Caíque Santos*

Os moradores de Vitória da Conquista tem acompanhado através de alguns blogs um verdadeiro banho de sangue em suas telas. Nos últimos dias, notícias de assassinatos e acidentes de trânsito agendam a pauta local. O direito e até obrigação que o jornalista tem de noticiar um fato deve vir acompanhado do respeito ao ser humano.
Poderíamos fazer aqui uma bizarra galeria de fotos ensopadas de sangue e massa encefálica, já publicadas pelos “jornalistas” responsáveis por alguns blogs da região, mas estaríamos incorrendo no mesmo erro.

Em menos de 15 dias tivemos na cidade 2 tragédias envolvendo motociclistas. Nos dois casos as vítimas tiveram o crânio esfacelado e em questão de minutos fotos circulavam por grupos de “whatsapp” e posteriormente nos blogs e redes sociais.

Não se sabe quem é mais “carniceiro”, o internauta que avidamente clica para ver a foto ou o blogueiro, que na ânsia de obter tais cliques, publica a foto. O fato é que cabe ao jornalista-blogueiro não expor fotos de seres humanos dilacerados, não importa quantos cliques ele deixará de ganhar.

No último acidente de moto, quando o senhor Aurindo Oliveira de Amorim, foi atropelado por uma carreta no cruzamento da Rio-Bahia com a Avenida Brumado, determinado blog disparou uma postagem para diversos grupos do Facebook, com pouquíssima informação sobre o acidente e muito sangue na foto. “Essa não seria a melhor imagem para se guardar dele. Muito triste ver quem a gente ama nesse estado”, escreveu Sirleide Amorim, prima da vítima, logo abaixo da postagem do blogueiro.

Código Penal – A Câmara analisa o Projeto de Lei 5012/13, da deputada Aline Corrêa (PP-SP), que obriga as autoridades competentes a zelar pela preservação da dignidade de vítimas fatais de acidente ou de crimes, evitando sua exposição pública e o uso indevido de sua imagem. Ainda assim, a Lei 10.406/02 da atual legislação, proíbe a “divulgação de escritos, a transmissão da palavra ou a publicação, a exposição ou a utilização da imagem de uma pessoa, a seu requerimento e sem prejuízo da indenização que couber, se lhe atingirem a honra, a boa fama ou a respeitabilidade, ou se se destinarem a fins comerciais”.
Segue trechos de postagens das reações das pessoas diante da foto:

deps_sang3-1

deps_sang2

deps_sang (1) deps_sang deps_sang2 deps_sang3-1

 

* Caíque Santos é jornalista graduado pela Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia – UESB, diretor do blog Rede Núcleo, com passagens pela Transamérica 100.1, Rádio Clube 96FM, UESB FM. TV Sudoeste, Record Bahia, e Jornal Correio*.

Espreme que sai sangue” é um livro que contém os resultados de um estudo sobre as raízes do sensacionalismo na imprensa brasileira. O autor investiga o fenômeno do sensacionalismo na imprensa sob várias dimensões: sua história através dos tempos, sua produção, e as razões mais profundas que fazem com que um amplo público seja atraído por este produto. O livro analisa como a linguagem utilizada remete ao inconsciente dos consumidores atendendo a necessidades psicológicas coletivas, e investiga os mecanismos que interagem no processo de atração e compra sensacional.

  • Facebook
  • Twitter