Kannário diz que respeita PMs que trabalham arduamente: Mas não me calo sobre excessos

No texto, o cantor disse que, ao observar um tratamento agressivo de alguns policiais militares contra foliões, solicitou uma abordagem adequada dos profissionais

Igor Kannário emitiu uma nota nesta segunda-feira (24) para esclarecer a declaração que deu no trio elétrico durante sua apresentação no Circuito Osmar (Campo Grande). Durante sua passagem pelo corredor de camarotes das televisões, ele declarou: “se acontecer alguma coisa comigo, quem mandou me matar foi alguém da Polícia Militar” . Em resposta, o Comando-Geral da Polícia Militar  disse que a atitude foi “irresponsável e criminosa” e que o deputado federal “incitou os foliões contra os policiais militares” .

No texto, o cantor disse que, ao observar um tratamento agressivo de alguns policiais militares contra foliões, solicitou uma abordagem adequada dos profissionais. O deputado garante ter respeito e admiração pela instituição, que tanto se dedica diariamente aos baianos, e justifica que no início do desfile chegou a pedir aplausos aos agentes de segurança. Para Kannário, o que aconteceu foi “um caso pontual da atuação da PM durante a passagem da pipoca”.

"Mantenho meu imenso respeito pela Polícia Militar, valorosa instituição que tanto orgulha a Bahia. Mas ressalto que não vou me calar diante dos excessos, ainda mais contra a minha pipoca, que saiu das favelas para fazer uma festa linda na Avenida. Sou um político que tenho lado, e meu lado é o povo", ressaltou. Com informações do Bahia Notícias

Comentários